terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Para conhecimento de todos

Somente agora li uma matéria sobre a derrota da equipe feminina do Brasil no blog da Z5 (http://z5handeboldepraia.blogspot.com/). Gostaria de comentar algo que vi e ouvi muito.
No jogo Brasil x Espanha, pela semifinal feminina do mundial de 2008, assistimos o primeiro set de jogo, com o Brasil vencendo com incrível facilidade. Fomos aquecer para a nossa semifinal e não vimos o segundo set. Aconteceu o que todos sabem. Espanha ganhou o set e o desempate. Entretanto, o que poucos falam é que o Brasil foi literalmente prejudicado. Os franceses, que não se apresentaram bem em toda a competição, em que pese formar uma dupla excelente, nessa partida fez uma arbitragem caseira. Essa afirmação pode ser constatada em vídeo que temos. Portanto, é hora de minimizar esse revés. Passamos muito por essas “derrotas”. No meu entendimento, o Brasil tem a melhor equipe feminina do mundo, perdendo apenas para ela mesma ou para a arbitragem (como foi o caso dessa vez).
Olhemos para frente!

2 comentários:

SILVIO LAGO disse...

Eu, como amante deste esporte tão empolgante, acompanho o trabalho da Seleção Brasileira Feminina de Handebol de Areia a muito tempo, e não tenho dúvidas em dizer que é a melhor e maior seleção do Mundo, isso tudo, a um trabalho maravilhoso feito pela Comissão Técnica Claudia e Rossana,não esquecendo da força de Willian Fillipe, Stanley Mackenzie e Guerra Peixe, que sempre brigaram para isto tudo acontecer.
Com muita paciência e estudo, levando isso a muitas horas de sono perdido, tensão, desafios, elas (Comissão Técnica) mostraram, com um grupo maravilhoso, que o Brasil tem trabalho e pessoas, para colocar o nosso País no lugar mais alto do Mundo.
Vieram, Rússia, Turquia, Itália, Alemanha, Bulgaria, Hungria, Uruguai e muitos outros,ao longo destes 3 mundiais e outras competições, mais todos cairam diante a superioridade de uma seleção campeã.
Mais apareceu uma tal de Espanha, a mesma história que qdo apareceu ma tal de Itália na copa de 82 com a nossa inesquecível Seleção Canarinho do Futebol, foi uma dor muito grande.
Ver a nossa Seleção cair diante das espanholas foi uma dor muito grande, apesar de estar concentrado para apitar com minha dupla o Luiz Filipe, um jogo paralelo, apitamos o jogo com grande dificuldade, por que, só quem é brasileiro e conhece o trabalho desta equipe que sabe o que é ficar triste.
Não vamos achar culpados, por isso é chamado esporte de competição, o resultado é importante, para ambas as equipes e venceu quem estava melhor concentrado, a Handebol de Areia da esta chance para os ditos "mais fracos", por que se ganha um set, e o outro começa do zero, uma nova partida, o que dá mais empolção ao espetáculo, e venceu quem estava melhor concentrado naquele momento.
Todos ficaram tristes, público, jogadores de outras seleções, árbitros, dirigentes, a cúpula da IHF, enfm, todos que adoram esta seleção que fez o mundo amá-las.
Hoje os tempos são outros, vocês conseguiram plantar uma semente e, no futuro, devem colhe-la, vocês fizeram o MUNDO adorar este esporte tão empolgante e apaixonante, tudo graças a você, que colocaram o "tempero" que só nosso país tem, vocês fizeram que um "lugarzinho" desconhecido no mapa, se transformasse em uma potência no Handebol mundial, quantas portas se abriram para todos, quantas histórias.
Boa sorte a todas e que, em um futuro próximo, vocês continuem a fazer do nosso Brasil uma potência no Handebol Mundial, parabéns, vocês sempre serão as melhores do MUNDO.

Guerra-Peixe disse...

Agradeço ao Sílvio Lago por citar meu nome nessa trajetória vitoriosa das meninas. Mas humildemente declino dos elogios, por entender que os méritos dessas vitórias são da comissão técnica (Claudia, Rossana e colaboradores), atletas e de todos aqueles que fizeram o Brasil estar presente em competições internacionais: CBHb; diretores e muitas pessoas que não aparecem, mas lutam pela modalidade há anos.
Quanto à partida e o seu resultado, entendo que o Sílvio não poderia dizer nada diferente. Porém, vendo em casa o segundo set, que não assisti por estar aquecendo,reafirmo minha posição já externada: os árbitros franceses não estavam no seu melhor dia e optaram por uma arbitragem caseira.
Vida que segue!