segunda-feira, 12 de outubro de 2009

ll Etapa Nacional - Rio de Janeiro

Terminou a etapa carioca do circuito nacional de handebol de areia. Durante três dias, 14 equipes disputaram duas vagas femininas e duas masculinas para as finais em janeiro de 2010.

No masculino, numa decisão que surpreendeu pela facilidade, a equipe da Unisuam venceu derrotando o Rio Handbeach, atual campeão brasileiro. Em momento algum o Rio Handbeach jogou o que vinha jogando na competição. Emanuel e Cubano foram os dois destaques entre os excelentes jogadores da equipe universitária de Bonsucesso. Em terceiro lugar ficou a jovem equipe do Niterói Rugby.

No feminino, capitaneada por Zezé, a equipe do Z5 Handebol, também campeão brasileiro, venceu a final contra o Rio Handbeach. Foi um jogo emocionante e decidido no shoot out. Destaque para a goleira Jerusa, que mais uma vez fez a diferença numa competição feminina. Em terceiro lugar ficou o Unihand Beach de Belfort Roxo. A surpresa ficou por conta do quarto lugar da experiente equipe da Unisuam.

Ao final da competição restaram três oportunidades de classificação para as finais: Rio Grande do Norte, São Paulo e Santa Catarina. Considerando a distância, São Paulo, entre os dias 6 e 8 de novembro, será a grande oportunidade daqueles que não obtiveram vagas.

Análise Técnica da Competição

Com o crescimento do número de competições, proporcionalmente aumenta o interesse por treinamentos. Porém, é nítido que muitas equipes se reúnem apenas para jogar. A falta de trabalho não deixa muitas opções para os atletas. As “bolas” aéreas com sucesso ainda são pequenas. Jogadas e movimentações são raras, principalmente se desconsiderarmos aquelas manjadas que toda equipe realiza. Por conta disso, a arbitragem tende a atuar muito mais que o esperado, pois é grande o número de invasões e outras violações.

Outro dado de fácil percepção é o excesso de peso, notadamente no naipe feminino. O sobrepeso atrapalha atletas que necessitam de impulsão, facilidade de girar e correr durante 20 minutos. Uma lástima, se pensarmos que atletas bem sucedidos em competições nacionais e internacionais terão direito a bolsa atleta. Quem joga deve estar consciente que terá muito mais chance de convocação se estiver atleticamente em forma.

A competição revelou um número considerável de jovens talentosos que futuramente disputarão vagas na seleção brasileira. Com esse perfil, entre outros, podemos destacar Diogo Silva do Arena e Rafaela Gomes do Rio Handbeach.

Fato relevante foi a participação dos atletas que constantemente freqüentam os treinamentos de seleção brasileira. Emanuel, Cyrillo, Gusmão, Jerusa, Daniel Kreuguer, Pedro “Budega”, Gold, Zezé, Edna e Simone, se destacaram numa competição de nível bem elevado.

Minha Seleção da Etapa (
Seleção da Etapa e Seleção de Novos)

POSIÇÃO

NOME

CLUBE

POSIÇÃO

NOME

CLUBE

GOL

EMANUEL

UNISUAM

GOL

BUDEGA

NITERÓI

ARE

GUSMÃO

UNISUAM

ARE

HOFFMAN

ACM

ESP

PEDRO

NITERÓI

ESP

DAVI

ARENA

ARD

CYRILLO

HANDBEACH

ARD

GABRIEL

NITERÓI

PIV

GOLD

HANDBEACH

PIV

DIOGO

ARENA

DEF

RODRIGO

UNISUAM

DEF

VITOR

DEBRET




27 comentários:

Anônimo disse...

Parabenizo a todos os atletas do Rio de Janeiro que fizeram desses três dias de competição uma grande mostra do que o nosso Estado é capaz nessa apaixonante modalidade. Em especial, a Unisuam e o Rio Handbeach no masculino e a Z5 e Rio Handbeach no feminino que garatiram presenças na fase final e, por enquanto, serão os representantes do Rio de Janeiro.

Concordo com o Guerra em relação à análise técnica da competição e destaco nessa seleção de novos o Evandro (Def) da Unisuam.

Que continuemos a treinar cada vez mais para as próximas competições.

Um abraço a todos
João Mandarino (técnico da Unisuam)

Guerra-Peixe disse...

João,
Na escolha da seleção de novos mantive a tendência de escolher novos atletas de equipes novas e novos de idade. Posso ter sido traído no Evandro, mas confesso que entre seus defensores, onde todos marcaram muito bem, acabei por escolher o Rodrigo pelo “conjunto da obra”.
Aproveitando o ensejo, caso se confirme a sua ida ao treinamento da seleção, você comandará um treino de 3 por 3. Quem sabe não modificamos a nossa defesa...
Forte abraço!

Rio Handbeach disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rio Handbeach disse...

Gostei muito do formato, da organização da competição e de passar 3 dias imerso no universo do Beach Handball. Sem dúvidas essa troca de experiências, de ideias e a observação dos jogos é fundamental para o desenvolvimento do handebol de areia carioca.

Um ponto destacado pelo Guerra acredito ser fundamental para o nível suba ainda mais: a forma atlética. Uma modalidade super dinâmica, rápida e praticada na areia requer que os atletas estejam com o preparo físico em dia para se manterem em um nível competitivo.

Em relação ao treinamento, volto a bater numa tecla: precisamos formar e reciclar constantemente treinadores!

Algumas equipes estavam com treinadores "ilustrativos", por exigência da competição. Deixo aqui claro que é louvável toda tentativa de treinamento, de formação de equipe, mas poderíamos aproveitar melhor se houvesse aqui no RJ algum tipo de curso, ou padronização.

Temos aqui no Rio (e nesse post) dois grandes treinadores: Guerra e João, que poderiam nos passar muitas informações, dividir o conhecimento, trocar experiências e - tenho certeza - o fariam com prazer.

Para isso, é necessário que organizemos um curso, uma clínica, um congresso, alguma coisa nesse sentido para que os treinadores novos, como eu, possam estar sempre trabalhando no sentido correto.

Grande abraço e parabéns a todos, especialmente aos classificados!

Anônimo disse...

Só faltou a sua seleção feminina do campeonato... PARABÉNS A TODOS OS ATLETAS!

Guerra-Peixe disse...

Prezado(a) Anônimo(a),
Seria deselegante de minha parte publicar minha seleção feminina estando presente a técnica da seleção brasileira feminina de handebol de areia. Mas vou pedir para ela enviar e publico com prazer.
Forte abraço!

Anônimo disse...

Achei a competição bastante interessante, com novas equipes e mais foco, mesmo com todas as dificuldades constatadas, em especial a falta de treinos e treinadores.
Ainda assim novos noms vão surgindo e se destacando no cenário nacional, como aqueles escolhidos para a seleção de novos onde destaco atuações como a de Rodrigo e do goleiro "budega", estes stletas merecem um olhar especial da equipe técnica da seleção.
Vamos apostar no handbol de areia, 2016 vem ai, e quem sabe esta não será a inclusão brasileira.
Um abraço
Marcondes R P

JEFFERSON disse...

Com grande orgulho venho mencionar que a etapa do rio de janeiro apareceu com uma grande evolução, aonde a equipe do rio handbeach feminino veio a superar a equipe da unisuam cogitada à vaga do brasileiro... Faço parte da equipe do Rio handbeach, mas infelizmente fiquei de fora dessa competição, mas fui aos tres dias d competição por orgulho ao esporte... É muito satisfatorio ouvir que atletas cariocas que estão começando nesse esporte receberam elogios do treinador da seleção brasileira... Infelizmente nossos padrões ainda não estão evidenciados para jogadores de seleção, mas até o brasileiro torço pelos cariocas e que mais uma vez o rio handbeach mostre as qualidades atrás do Bi e que o feminino, sendo sua primeira vez, mostre evolução... Obrigado

Cyrillo disse...

Bem pessoal,
Com certeza esses dias mostraram a evolução de muitas equipes e jogaram, mostrando cada vez mais a força das equipes cariocas.
Os proximos meses serão super importantes para as equipes chegarem a sua melhor forma no brasileiro.
Parabéns as equipes classificadas e foco nos treinamentos para fase final.
Abs a todos

Anônimo disse...

É muito bom ver o handebol de areia do Rio crscer, mas também é uma pena que apenas 2 equipes possam ir ao brasileiro, acho que o critério deveria deveria ser revisto.

Guerra-Peixe disse...

Vou tentar abordar algumas questões trazidas por visitantes do blog.
Curso - Precisamos instrumentalizar nossos técnicos e isso é uma realidade. Percebo que existe desejo de alguns e outros, se convidados, tendem a participar. Da minha parte, continuo ao inteiro dispor para discutir e trocar informações com todos.
Novos Valores - Realmente o Rio de Janeiro apresentou muitos valores novos. Porém, é preciso informar que o RJ não é o único que pratica a modalidade. Têm aparecido jovens por todos os estados praticantes.
Vagas para o Rio de Janeiro – Em que pese à qualidade da competição carioca seria uma distorção que o RJ tivesse direito a mais equipes na fase final. Essas outras vagas podem ser conquistadas. Para isso, as equipes devem viajar para São Paulo, Santa Catarina, Paraíba e Rio Grande do Norte. Quando pensamos o handebol de Areia, buscamos o equilíbrio e a participação de todas as regiões do Brasil.

Forte abraço para todos!!!

Anônimo disse...

Caro prof° , não consigo entender onde estaria a distorção em se destinar um número de maior de vagas ao RJ, dada a qualidade da competição cariocae de seus valores individuais. Afinal, se outras vagas podem ser conquistadas em São Paulo, Santa Catarina, Paraíba e Rio Grande do Norte por equipes de outros estados, não se estaria burlando a busca do equilíbrio e a participação de todas as regiões do Brasilao invés de reconhecer de maneira clara e transparente que alguns estados podem e devem dar uma contribuição maior ao campeonato?

João Mandarino disse...

Guerra,
você tocou em um ponto muito interessante durante esses dias, sobre a questão do estudo em relação as vantagens ou não da troca de 3:3. Será um prazer podermos trocar sobre o tema. Aproveitando, poder aprender mais com um grupo seleto como a seleção será muito bom. Farei força para estar presente.

Sobre a evolução da modalidade é notório o crescimento, mas isso é generalizado. Em todas as regiões do Brasil aumentam cada vez mais o número de praticantes e o nível técnico também, daí os resultados de nossas seleções e a dor de cabeça para o Guerra e a Rossana convocarem os melhores atletas. Parabéns tb ao Stanley pela bela organização de uma competição, mais uma vez.

Guerra-Peixe disse...

Não entendo onde está o problema. Você gostaria que o Rio de Janeiro tivesse um número maior de vagas. Pois insisto em dizer que se o Rio de Janeiro disputar todas as etapas ele pode completar as dez vagas. Mesmo assim você entende que o nosso estado é merecedor de mais vagas. Diria que não.
Penso que depois da disputa carioca, precisamos medir forças com outros estados e conquistar vagas jogando. Temos que “tomar” a vaga que é destinada a outro estado. Aí sim, somos merecedores de mais equipes nas finais. Mesmo assim gostaria de saber onde está a fundamentação para esse desejo. Resultados nacionais? Qualidade das equipes? Você acha que se o RJ disputar as finais com 4 equipes vai ficar com os 4 primeiros lugares? Estamos tão na frente assim? Você conhece os outros estados? Se servir como um dado importante, posso afirmar que na final teremos equilíbrio no masculino, com 7 a 8 equipes no mesmo patamar. No feminino, acredito em dois grupos bem distintos.
Para encerrar, penso que poderemos disputar as finais do brasileiro com 3 equipes masculinas e até 4 femininas se formos disputar em SP e SC.
Vamos conversando...

Anônimo disse...

Caro Prof reconheço que alguns estados estão se empenhando e produzindo equipes brilhantes como o Ceará e o Rio Grande do Norte, por exemplo, mas, no final quantas equipes irão disputar o campeonato? Não seria interessante para o desenvolvimento e popularização do esporte que este número fosse maior com qualidade técnica?

Jefferson - Obina disse...

Bom o Rio de janeiro conta com bons tecnicos como o Marcio do Rio handbeach e o joão da Unisuam, mas como foi dito muitos ainda tem muito que aprender... e eu sou um desses querendo a frente do rio handbeach feminino junto ao welington(peixe) aprender e ter soluções perante a essas meninas que têm um enorme potencial... Contudo gostaria de saber aonde busco ajuda para que um dia, eu no caso formado em tecnico de desportos e cursando o 6º periodo de Ed. Fisica evolua nessa área do handbeach... Desde já fico grato!!

Sérgio Carneiro - Vista Alegre disse...

Guerra,
Como sempre, seus comentários são, além de competentes, de muito bom senso.É um desafio agradável argumentar com você e explorar a defesa de seus pontos de vista, mesmo que em algum momento discordemos deles.
Inegavelmente os nomes dos novos que aponta nos novos são indiscutíveis.Destaco, como você, o Budega como um atleta de futuro, pela determinação, seriedade e competência técnica.
Parabéns pelo seu trabalho em prol do Beach e por esse espaço tão democrático.

Bruno disse...

Bom, primeiramente gostaria de Parabenizar as equipes classificadas para a fase final da etapa do brasileiro, em seguida gostaria de opinar em relação ao assunto que um Anônimo abordou, o fato do número de vagas destinadas aos participantes, diretamente ao Estado do Rio de Janeiro. Sem sombra de dúvidas o modelo de campeonato nacional não é o mais adequado para conseguirmos obter as 10 melhores equipes na fase final do campeonato brasileiro, uma vez que poderíamos utilizar de recursos como a repescagem e outras formas de "peneirar" as melhores equipes para estarem na final. No entanto discordo completamente do ponto de vista do anônimo que acredita que o RJ deveria ter o privilégio de ter mais vagas para a fase final, concordo sim que o RJ tem equipes de alto nível que não conseguiram vaga par afinal, mas, pela atual realidade de nossa modalidade, nada mais justo que o sistema de classificação dê oportunidades iguais a todas as regiões do nosso Brasil, pois com isso, teremos um handebol de areia praticado em todo o país e o alto nível será encontrado em todas as regiões. A melhor prova de união pelo beach e de atitudes para o crescimento da modalidade, é a busca da classificação das equipes, que não conseguiram vaga, em etapas nos outros Estados, e dessa forma elas poderiam mostrar a força do seu próprio Estado, levando mais equipes para a fase final. Se o Anônimo procurar saber como anda o nível técnico em todo o país, verá que nenhum Estado deixa a desejar na qualidade, todos estão em um mesmo patamar... Com certeza logo em breve nosso campeonato nacional estará mais elevado e com melhores critérios de classificação, mas no momento, apenas deveremos lutar para alcançar a nossa classificação participando do máximo de etapas possíveis, seja dentro ou fora de nosso Estado e ai estaremos fazendo nosso esporte ficar ainda mais forte e popular. Eu, como atleta iniciado na Paraíba, vejo o trabalho que é realizado aqui e fiz parte dos frutos obtidos nos últimos campeonatos brasileiros. Ano passado, merecidamente, as duas equipes do RJ levaram o título nacional, repetindo o feito do HCP no campeonato em Aracaju. Como podemos não reconhecer as grandes equipes do BNB e Fortaleza do Ceará? As batalhadoras equipes de Cubatão e São Vicente de SP? O jovem e forte time do HCNN do Rio Grande do Norte? O antigo e sempre presente Copm da Paraíba? Sem dúvida Anônimo, ainda não chegamos ao melhor modelo de classificação para a fase final, mas, com absoluta certeza hoje em dia esse é o critério mais justo.
O Rio de Janeiro é e sempre será celeiro do Handebol de Areia brasileiro, no entanto eu tenho certeza que esse privilégio de possuir mais vagas para fase final é uma crítica não construtiva para a massificação da modalidade em nosso país!! Parabéns Guerra, por saber argumentar com maestria os valores essenciais para o Beach Handball do Brasil!!


Bruno Carlos - Bruninho

Rio Handbeach disse...

Só para ilustrar: no Brasileiro 2008/2009 a conquista só foi possível porque conquistamos a vaga em SP!


Um outro ponto que eu penso que deveria ser levado em consideração para os próximos anos é destinar uma vaga para o atual campeão defender o título e uma vaga para a equipe do estado/cidade sede.

Alexandre Almeida disse...

Estive lendo os comentários e percebi que existe uma preocupação em tornar o Circuito Brasileiro o mais equilibrado possível. Penso que o ideal seria que a moioria das equipes brasileiras pudessem participar de todas as etapas, mas financeiramente ainda é inviável. Ficaria muito feliz no dia em que tivermos equipes de SP e RJ, por exemplo, disputando etapas no nordeste e vice-versa. O fato de uma equipe do RJ tentar a vaga para final numa etapa de SP ou SC, demonstra a evolução da modalidade. Além disso, o intercambio entre os Estados não se limita as equipes finalistas, possibilitando que todos tenham uma visão mais global do Beach Handball brasileiro. No entanto, concordo que a equipe campeã e o Estado sede da final tenham vagas garantidas. Teriamos uma competição com 12 equipes.
Grande abraço a todos,
Alexandre Almeida
ACH-Campinas SP

Guerra-Peixe disse...

Estou adorando os comentários sobre as etapas. Entendo que dessa forma cresceremos. São comentários sem teor pessoal. Todo mundo olhando pelo desenvolvimento da modalidade.
Vou aproveitar e tecer alguns comentários também...
Sou um batalhador de que a cidade sede tenha uma equipe classificada (automaticamente). O mesmo penso em relação ao campeão do ano anterior.
Um número maior de equipes fica inviável no momento. Temos inúmeras dificuldades com a participação de equipes nas finais, aumentar seria um tiro no pé.
Não sei se temos o melhor modelo de circuito, porém, com os recursos que temos, posso garantir que estamos fazendo o melhor. Precisamos de ajustes e mais envolvimento de algumas federações que estão, literalmente, de olhos fechados para a modalidade.
Forte abraço!

Cyrillo disse...

Bem pessoal, concordo com bruninho assim como a maioria dos comentários sobre a presença do estado sede assim como o campeão brasileiro.
Acho que a possibilidade de equipes de outros estados se enfrentarem mesmo que não seja na fase final através das etapas, para mim já se torna uma grande evolução na modalidade assim como pequenos recursos vindos de prefeituras e pequenos patrocínios que sejam para que a evolução tanto das equipes quanto do esporte ocorra cada vez mais.
Esse intercâmbio fora da fase final visto agora na etapa de Natal ( onde equipes de Fortaleza, Paraíba e Rio Grande do Norte) e posteiriormente com a de São Paulo onde equipes cariocas irão tentar garantir suas vagas só mostra a expansão do esporte pelo território nacional.
Vamos com tudo e juntos que faremos desse esporte ainda melhor

Ted Boy disse...

A diversidade de equipes com estilos e caracteristicas diferentes são importantes para a continua evolução do esporte. Pode se aprender muito assistindo outras equipes e jogadores atuando e de lugares diferentes e caracteristicas diferentes, no brasileriro 07/08 a equipe do hcp vei com um ataque avassalador ja o ano seguinte 08/09 a equipe rio handbeach veio com uma defesa muito forte e pesada e um shoot out quase invensível, mas tivemos um jogador que se destacou demais da equipe do Fortaleza o Nailson,a equipe que tem o melhor goleiro do mundo ganhou set por ter levado 2 goleiros e utilizar o resesva em momentos cruciais. O que quero dizer é que quanto maior a diversidade maior a variedade de resultados, e as etapas em outros estados servem de repescagem vejam o caso do Rio handbeach que conseguiu a vaga em São Paulo e obrigou Metodista/São Vicente conseguir sua vaga em Santa Catarina.

Anônimo disse...

Nossa! Não pensei que meu comentário sobre os critérios de classificação fossem render tanto debate inteligente, fundamentado e apaixonado! É muito bom saber que, de alguma forma, todos estamos pensando em maneiras de melhorar e ampliar a participação das equipes no brasileiro.
Quero parabenizar o prof. Guerra por todo esse trabalho de estímulo e apoio ao beach,que com sua garra está ganhando cada vez mais credibilidade e competência técnica.
Sou apaixonado pelo beach do Rio de Janeiro e pela quadra de São Paulo.
Concordo plenamente com o Bruninho quanto a necessidade de dar oportunidade a todas as regiões do Brasil, mas continuo discordando da possibilidade de um estado ir buscar vaga em outra região, pois isso nega o princípio que embasa a primeira hipótese.
O bom é que no final ganha e cresce o hand brasileiro.
Um grande abraço a todos.

htr disse...

Como treinador novo tanto na idade, quanto no tempo em que trabalho na areia, deixo aqui minha grande satisfação de conviver durante um final de semana muito produtivo e de atmosfera única, que para nós do HTR-Três Rios foi de aprendizado a todo momento. Parabens as equipes que chegaram bem , com grandes resultados, e fica um abraço especial as equipes do interior, que como nos,possui grande dificuldade mas nao é por isso que deixam de trabalhar serio para engrandecer mais ainda o nosso handebol de areia.
Deixo tambem um grande abraço aos meus atletas, por todo esforço para que pudessemos participar e aprender neste zonal.
Parabens Guerra pelo blog e grande prazer em conhece-lo pessoalmente.

Bruninho, HTR - Handebol Três Rios

MGIL disse...

Prof. Guerra, boa tarde!

É uma pena que grandes e dedicados atletas nem se quer são lembrados na hora de uma escolha de "LEMBRADOS NÉ"... De qualquer foma, cabe a eles ou nós, trabalharmos mais para que pelo menos um dia, novos talentos tbm componham o seleto grupo de "LEMBRADOS"... Rsrsrsrsrsrsrs

Parabéns à todos!!!

Marcio Gil

Guerra-Peixe disse...

MGIL,
Existem excelentes jogadores em todas as posições. Escolho após analisar com bastante critério. Não tenho nenhum tipo de preconceito com raça, credo ou orientação sexual. Minha seleção de etapa é a minha seleção de etapa. Respeitaria muito se qualquer pessoa viesse aqui e deixasse a sua seleção da etapa. O que não posso é fazer uma seleção com trezentos...
Forte abraço!