terça-feira, 11 de maio de 2010

Goleiro de Handebol de Areia

Aos técnicos, atletas e interessados.
Que tal discutirmos sobre as diferenças, se é que existem, valências físicas, o jogo e os exercícios para o treinamento de goleiros de Handebol de Areia?
Poderíamos aproveitar esse espaço e avançar com essa ideia e outras que me cobram insistentemente todos os dias. Estamos aguardando os textos, indicação de trabalhos científicos e etc...
Forte abraço para todos!

15 comentários:

Camila Pena disse...

Guerra,
estamos no momento desenvolvendo conjuntamente com os próprios atletas, pois obviamente não temos um preparador exclusivo para goleiros, um trabalho específico para a posição com base nos vídeos da EHF e também com elementos de adaptação à movimentação na areia, procedimentos adequados para a disputa de um contra goleiro, composição defesa-goleiro e serenidade. Estamos trabalhando com a ideia da necessidade do goleiro ser calmo diante do atacante e confiar na composição com seu companheiro defensor, uma vez que a defesa está sempre em desvantagem numérica. É tudo muito recente e os resultados ainda estão por vir. Assim que pudermos constatar algum eficiência poderemos sistematizar melhor e enviar algo mais consistente.
Da quadra guarda-se semelhança com características como flexibilidade, tempo de reação e agilidade.

Anônimo disse...

Obviamente o posicionamento é o ponto em que mais se diferencia em relação ao goleiro da quadra.
Claro que existem muitas adaptações no estilo em que os fundamentos do goleiro devem ser realizados mas mesmo assim o mais importante, na minha modesta opinião, é o trabalho de posicionamento.

Rio Handbeach disse...

Há muitas diferenças.

Apesar de a questão técnica ser muito similar, permite figuras defensivas diferentes como a famosa "tringueleta" do Manel. (Uma saída em X, só que de lado, para os que não conhecem), por exemplo.


Pra mim, as grandes diferenças, em relação à quadra são de caráter tático:

- Lançamentos em gol.
- Leitura para ligar contra ataque.
- Saída da área para ajudar a transição para o ataque e/ou para lançar em gol.
- Ajudar à defesa a eleger uma posição a ser "negligenciada". (Escolher qual adversário deve arremessar)
- Acreditar e obedecer a relação com o bloqueio defensivo.
- Reposição de bola pós gol, já que a saída é dada direto por ele.
- Saída da área no shoot out e todas as suas consequências.

Resumindo, na minha opinião, o goleiro do beach participa muito mais ativamente do jogo, inclusive fazendo gols, coisa que na quadra é rara. Por isso, precisa ser mais taticamente inteligente e é muito importante treinar soluções para todas essas questões.

Grande abraço
Marcinho

Luiz Carlos disse...

Meu querido Amigo Guerra! acho essa discussão muito importante, haja vista que nossos goleiros também tem que ser trabalhados para atuar na linha, como jogadores atacantes. Acredito que aquela visão do trabalho específico para goleiro tem que existir, mas sem deixarmos de trabalhá-los também para saber tomar decisões técnicas e táticas quando tiverem que sair para o ataque. Observamos que nossos goleiros tem muita insegurança quando precisam "tomar decisão" de atacar, poucos se arriscam por não possuírem tal capacidade técnica e tática por falta de treinamento específico. Como havia falado anteriormente para você, tenho material em DVD e VHS(França, Espanha, Alemanha) para trabalho de goleiros da formação ao aperfeiçoamento, pretendo repassá-lo para você assim que a correria aqui no mestrado diminuir. Saudades! grande abraço! Luiz Carlos.

Camila Pena disse...

Se for possível Luiz, o CEPRAEA tem muito interesse em qualquer tipo de material que possa desenvolver o conhecimento acerca da modalidade. Seria possível repassar tb a nós?

abraço

Luiz Carlos disse...

Salve Camila! com todo prazer. Temos que combinar como eu repassaria isso para você e a quem interessar. Estou em Teresina(Piauí), meus telefones de contato são: (86) 9925-0676 e 3215-5249, msn: luizcalossax@hotmail.com, a demora é regravar o material todo. Vamos conversando e combinando tudo, ok? grande beijo! Luiz Carlos.

Guerra-Peixe disse...

Deixei dar uma esquentada nas propostas até colocar algumas posições que tenho. Minhas observações foram criadas ao longo dos anos com a modalidade e não invalidam nada do que foi descrito pelos colegas.

Na verdade, nunca treinei específico com goleiros. Como sempre tivemos goleiros renomados da quadra, o que sempre houve foi a adaptação desses atletas à nova modalidade. Mas me aventuro a algumas observações:

1. Começamos por diferenciar os deslocamentos laterais, por razões óbvias. Entendo que os goleiros de areia no lugar de “escorregar” lateralmente devem trabalhar quase que saltando lateralmente (na ação de defesa);
2. Uma que aprendi com o Palito, excelente goleiro dos primórdios do Handebol de Areia, ele se deslocava nas bolas baixas e entrava com a perna, braço e tronco, sempre que possível. Eu o via treinar insistentemente esse tipo de defesa;
3. Como a bola rasteira é de alto risco para o atacante, o goleiro na areia tem a probabilidade desses arremessos diminuída. Dessa forma, sua concentração se volta para as bolas altas e bolas cruzadas (meio para baixo);
4. O formato da área na areia modifica totalmente a relação de arremessos nas laterais. O trabalho tático do defensor lateral com o goleiro ganha em importância e é vital para o resultado do jogo. Quanto ao arremesso do armador lateral, temos duas situações distintas: com bloqueio ou sem bloqueio. Quando esse arremesso sofrer oposição de bloqueio do defensor, a posição adequada do goleiro é ângulo curto, ficando para o defensor o longo. Caso contrário, o goleiro deverá crescer na direção do atacante, ficando na posição intermediária entre a trave e o meio. Nesse caso, a utilização de figuras se torna vital;
5. O jogo defensivo no Handebol de Areia é baseado na assimetria, estando à defesa em desvantagem constante. Portanto, ganha peso o entendimento da probabilidade. Todo defensor deve trabalhar com base na probabilidade. Nesse caso, o goleiro é o melhor orientador dessa postura;
6. O goleiro deve “crescer”, sendo ofensivo, para ganhar vantagem durante os arremessos adversários, porém, deve ter sensibilidade para não ser agressivo e violento;
7. Os braços altos dos goleiros nunca foram tão importantes nas ações defensivas de uma modalidade. Perdemos apenas para os goleiros de Pólo Aquático;
8. Entre os grandes goleiros observo os seguintes itens: sua capacidade de defender bolas “indefensáveis”; sua condição física; o seu jogo tático com os defensores; sua reposição de bola; velocidade de saída e entrada na quadra; sua capacidade de orientar companheiros; sua segurança em definir qual atacante é sua prioridade para a equipe “pagar” e o seu entendimento do jogo.

Espero ter contribuído para as discussões. Aguardo críticas dos profissionais que trabalham com goleiros e também dos goleiros atuantes na modalidade.

Forte abraço!

Luiz Carlos disse...

Guerra! tava aqui refletindo sobre suas colocações, que por acaso, dariam uma bela cartilha de orientação para goleiros "da Areia", com educativos próprios. Na quadra o goleiro como dizemos é meio time(50%), na areia poderíamos dizer que isso poderia sofrer alteração para mais(75%)? devido à sua postura técnica, tática, velocidade de reação, equilíbrio, força, envergadura(parece-me inevitável goleiros altos, na quadra ainda observamos goleiros baixos), dentre outras características específicas do Handebol de Areia. Acredito que deveríamos pensar mais na formação e treinamentos especiais de alto nível, quem sabe um dia, treinadores específicos para goleiros, o que acha? sei que temos que levar em consideração alguns fatores como gastos com mais um, etc. Fica aqui minha simples sugestão. Grandiosíssimo abraço!!! parabéns pelas colocações amigo. Luiz Carlos.

Anônimo disse...

Ola amigos do blog!!!
Gostaria de aproveitar a oportunidade para fazer tbm algumas considerações a respeito do tema.
Penso q em pouco tempo com a evolução do esporte ficará mais dificil que os goleiros q migram da quadra se adptem tão facilmente a Areia, pq como alguns ja citaram aqui existem algumas figuras diferentes e o tempo em relçao ao arremesso tbm é diferente.
Claro q existem várais semelhanças nos aspectos gerais, mas tbm creio q se deveria haver treinos especificos, não penso ainda em treinadores especificos se meu amigo Luiz Carlos me permite descordar, pela pouca quantidade de profissionais q ainda temos trabalhando com esse esporte, então talvez o mais viável hoje seriam treinos especificos que pudessem ser extraídos de acervo aos quais nossos treinadores pudessem consultar como apoio para trabalbar com seus goleiros.
Ações defensivas:
- Creio q pelo solo ser instavel a propriocepção é trabalhada constantemente, então situções de desequilibrio seguida dos gestos defesivos basicos, altos, medios e baixos talvez sejam uma boa forma de trabalhar.
- Penso q as defesas especiais tbm devam ser treinadas, como pontes do futsal ( defesa a qual o goleiro se lança com todo o corpo para o lado q a bola foi arremessada, efetuando a defesa com os braços estendidos)e a tringueleta (defesa executada como um movimento de tesoura aereo), porém fazendo com o o goleiro aumente seu delocamento lateral saindo de uma das travez, possibilitando um aumento da força dos membros inferiores
- Corridas de aproximação devem ser bem trabalhadas, porque creio q a distancia entre o goleiro e o atacante devem ser curtas, isso é fundamental para uma boa chance de defesa.
- Entradas rapidas em situação de substituição, bem como saídas, e lançamentos diretos ao gol creio q devam ser tbm mto bem trabalhadas, isso se torna fundamental para o êxito no contexto do jogo.
- Situações combinadas com os defensores, ou seja os bloqueadores, tbm são de mta relevancia como disse o professor Guerra, pq o jogo quase sempre esta em desigualdade numerica gerando um desvatagem para a equipe defensora
Para encerrar acredito tbm q o goleiro de areia deva ter um bom condicinamento físico, um biotipo longelineo ajuda, mas acima de tudo as quetões volitivas (coragem, determinação, concentração, autoestima elevada e etc) determinam em grande parte o sucesso do goleiro.
Espero tbm ter contribuido para discusssão.

Um grande abraço

DANILO ROBERTO SILVA

Luiz Carlos disse...

Salve Danilo! claro que você pode discordar à vontade, afinal de contas este espaço é democrático e podemos nos expressar livremente. Mas, acho que não fui bem interpretado quando falei em trabalhos específicos para goleiros. Pensei nisso, como um trabalho feito a longo prazo, não agora, "quem sabe um dia"!? no mais, estamos todos tentando dar nossa, mesmo que pequena parcela de contribuição para nosso Handebol de Areia. Grande abraço!! Luiz Carlos.

Ted Boy disse...

Boa tarde a todos

Acho que todos que aqui escreveram tem opiniões muito parecidas com o que penso , principalmente quando falamos das figuras mais usadas na areia (ponte e a trigueleta) posicionamento, tranquilidade, alto confiança.
Mas algo que diferencia muito um bom goleiro de um goleiro ótimo é a leitura do jogo, pois muitas vezes a defesa não chega, mas muitas mesmo e o cara resolve. Nos jogos que podemos assistir no site da confederação vemos goleiros decidindo a maioria dos jogos( eu vejo sempre um erro do ataque como mérito do goleiro e em boa parte da defesa também, nada ver com a posição que jogo em!!!rsrsrs) e decidiram pois tinham uma ótima leitura do jogo.
Claro que no esporte de alto nível a condição física é muito importante, não falo só de altura, mas principalmente a qualidade física.
Importante nos treinamentos é quantificação da carga e volume de treino, não podemos querer que um goleiro faça 20 repetições em uma série de exercício se estamos treinando potência, esta série não deve passar de 6 repetições.
O trabalho técnico não necessita de velocidade máxima e sim uma velocidade que seja possível melhora e refinamento dos movimentos, é por isso que os praticantes de atletismo fazem até o alto nível técnicas de corrida, saltos, arremessos e lançamentos; o pessoal do levantamento de peso treina apenas com a barra sem peso (claro que isto serve para todas as posições), bom enfim prestemos atenção neste aspecto também , treinar demais não quer dizer treinar melhor.
Grande abraço a todos !

Anônimo disse...

Oi Guerra,
Estava passeando pela internet esse final de semana, qdo ao entrar no site do Handebol de Praia, me deparei com o regulamento da competiçao de 2010/2011.
Após 2 anos sofridos com um modelo de campeonato caro e desgastantes para as equipes, imaginava que a diretoria da confederaçao fosse ao menos ouvir e debater com os clubes, novas ideias, propostas, enfim tentar melhorar a organização do esporte. Idéia essa já sugerida pelo Silvio Lago em algum comentário.
Fiquei um pouco frustrado.
Abc
Felipe
Rio Handbeach

Guerra-Peixe disse...

Felipe,
Ficou para o próximo ano a minha proposta de reunião de todos os interessados para as devidas discussões sobre a modalidade. Organização, regras, regulamento, técnica, tática e preparação física serão os assuntos.
Forte abraço,

Guerra-Peixe

Simone Gaúcha disse...

Boa Tarde, Professor Guerra!
Meu nome é Simone, sou aluna de Educação Física da Estacio de Sá - RJ. Estou no penúltimo semestre cursando as disciplinas, entre outras, M.E. Handebol com professor Alberto Caldas (conhecido como Estricnina - Estric - no Handebol) e Prática Pesquisa com Marcia Albergaria. Por eu ser uma apaixonada pelo esporte Handebol resolvi fazer meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) nesta área com pesquisa traçando comparativo de lesões no Handebol Indoo e Beach Handball (encontrei apenas um estudo sobre lesão no Beach Handball). Contudo, venho por este contato pedir ajuda ao Senhor através de seus conhecimentos e influência. Semestre 2010/2 preciso aplicar um questionário em atletas do Beach Handball, se for possível.
Antecipadamente agradeço pela atenção.

Roberta batslima disse...

Favor, Postar as novidades do Mundial assim que chegar na Tuquia.
Boa sorte Brasil! E que meu primo Coxinha pegue muito e traga mais um ouro pra Pernambuco!