terça-feira, 5 de junho de 2012

Vamos Melhorar e Contribuir.

 Para jogar o Handebol de Areia não podemos:



 Usar camisas de manga. O certo é a camiseta para o masculino e o top para o feminino.


Não podemos utilizar coletes substituindo a camiseta ou para identificar um especialista (coringa).


Não podemos utilizar short no feminino. O certo é o sunquini. Também não podemos usar furos para identificar números.



Bloquear próximo do atacante. Assim evitamos o toque e a consequente marcação do 6 metros com a exclusão.


Todas as fotos são de Claudio Franco Foto. Quer ver mais clique aqui

36 comentários:

Silvio Lago disse...

Parabéns Guerra pelas imagens e informações, só assim vamos crescendo nosso esporte...

Ariovaldo disse...

Eu aproveito para perguntar também:

- E o técnico da Seleção Brasileira pressionar os arbitros inexperientes que estavam lá para ajudar, só para beneficiar o time ao qual está sendo pago pra dar consultoria, pode?

- A "Técnica" desta equipe, repetindo o seu consultor que estava atrás da corda, gritando e reclamando o tempo inteiro e não sendo punida pela arbitragem, pode?

- E a equipe que está recebendo a consultoria do Técnico da Seleção Brasileira, junto com sua "Técnica", atravessar a quadra e ficar na área técnica da equipe adversária para receber instruções do seu Consultor durante tempo técnico, pode?

Poderia citar outros, mas vou parar por aqui...

Antes de colocar fotinhos, criticando outras equipes e organização da etapa deveria também olhar seu rabo. Pena eu não ter tirado fotinhos destes casos para postar aqui.

E a última pergunta: É ético o Técnico da Seleção Brasileira Masculina ser contratado por uma equipe Masculina???

Ariovaldo disse...

Em tempo:

E o time que esta recebendo consultoria do Técnico da Seleção Brasileira, continua virgem de troféu e série A, mesmo com a consultoria, mesmo treinando 3 vezes na semana, mesmo se gabando de ter muito dinheiro pra bancar o time...

Como diria capitão Nascimento:
"Nunca Serão!!!"

Guerra-Peixe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guerra-Peixe disse...

Ariovaldo,

Você está sendo tremendamente injusto. Fiquei do lado de fora e mesmo com problemas graves não reclamei no tom que você descreveu.

Ao final do jogo em reunião com os atletas do CEPRAEA não ouvi ninguém mencionar problemas de arbitragem. Os adversários foram superiores e pequenos erros de arbitragem, para os dois lados, não tiveram efeito no resultado.

Lembro que num determinado momento do jogo, após um erro grave de um deles, fato que o delegado do jogo ajudou a desfazer, manifestei uma impressão ao Sidiney (delegado), que acredito até você vai concordar: “Você apitou todos os jogos com alguém menos experiente.
No jogo mais difícil você deixou os garotos apitando...”

Você apontou coisas que não vi: Camila reclamando o tempo todo e não sendo punida? Eu pressionando os árbitros? Procurar sombra no intervalo é prática da modalidade e não há nada de mal ou errado. Nesse caso não importa o lado, desde que não se utilize um espaço que outro já esteja utilizando. Poderia inclusive sair da quadra...

Infelizmente não sabia que atingiria sua equipe com as fotos. Elas ilustram o que não podemos fazer. Teve o objetivo de ajudar. Existem pessoas que não sabem que o colete é algo proibido. Que camisa de manga idem. Que furar camisa é pior ainda... O sentido foi de contribuir e não comparar uma equipe certinha com outra com problemas de uniforme.

Você usou muito esse negócio de “consultoria”. Quero te dizer que essa consultoria foi muito mais por amizade do que pelo lado que você entendeu e reforça tanto. Não podia imaginar, nem nos piores cenários, que isso seria motivo de inveja de qualquer pessoa. Tenho ajudado muita gente em lugares que você nem pode imaginar. Estou me perguntando: não posso ajudar uma equipe onde jogam inúmeros jovens que incentivei à prática do desporto? O que isso pode causar de tão negativo?

Mostra o que antiético em ser consultor de uma equipe masculina do estado do Rio de janeiro. Aponte o problema e os motivos... Estou curioso em saber.

Se por ventura, coisa que não acredito, Camila se vangloriou de ter verba abundante para a sua equipe, escreva colocado-a na berlinda. Mas debochar de um trabalho com enorme sacrifício como esse que me tomou duas 6ªs e dois domingos é maldade.

Como ninguém é tão ruim que não possa piorar você reservou para o final o seu, digamos, detalhe. Aquele ladinho “torcidinha de futebol” que alguns seres humanos têm: o tripúdio. Mas nada como o tempo para provar que estamos enganados.

Não acredito que você se chame Ariovaldo, mas se for o caso espero conhecê-lo e fazer com que você mude sua impressão sobre o técnico e o homem Guerra Peixe.

Anônimo disse...

Vamos Cepraea, Rumo a série A!

Vocês merecem!!!

Ariovaldo disse...

Guerra:
Nada do que falou mudou o que eu vi na etapa.

Anônimo:
"Nunca Serão!!!"

Guerra-Peixe disse...

Ariovaldo Santa Mônica

Maravilha! Assim cada um fica com a sua opinião.

O foco deveria ser "Santa Mônica sempre será". Não foi nessa, mas será na outra e na outra campeão da série "A". Focar no CEPRAEA o "nunca serão" denota despeito e inveja.

Mas como disse anteriormente cada um com a sua opinião.

Camila Pena disse...

Sem entrar em qualquer tipo de justificativa ou defesa, só acho importante deixar registrado que inclusive chamamos atletas de outras equipes para treinarem conosco e aproveitar a oportunidade de aprender com o Guerra que tivemos. Além disso, o técnico da seleção brasileira sempre se mostrou acessível a quem se interessasse. Basta humildade de procurá-lo.

Bom trabalho a todos.

Só para constar: o dia que tivermos muito dinheiro para bancar a equipe terei realizado um sonho. No momento, assim como muitos, estamos atrás de patrocínio.

Carol disse...

Você viu coisa demais, Ariovaldo. Cada um interpreta o que vê da maneiro que melhor lhe convém.

Anônimo disse...

Boa noite a todos!

Bom só irei comentar , pois ñ discordo das colocações do Guerrinha, desde que entrei no Projeto Geração , venho aos poucos tentando colocar em prática tudo que se pede das regras do handebol de areia.
Como recente ainda e sendo um projeto que vive de verba publica, ainda nao pude prosseguir por conta de andamentos burocráticos, estamos aguardando a renovação do Projeto para poder ter recursos financeiros para poder confeccionar os suquinis.
Queria deixar aqui claro que, não vejo problema nenhum em ter as fotos do Projeto Geração sendo usado como exemplo negativo, já que estamos trabalhando para a melhora do esporte.
Antes de iniciarem as Etapad, eu perguntei a Presidente da FHERJ, se poderia participar , pois estava com justamente problema de uniforme, e se caso nao pudesse se teria alguma possibilidade se documentasse um pedido por escrito. Ela autorizou, sem que eu emitisse esse documento.Somente por isso participo das Etapas.
O diretor do Projeto professor Almir Fernandes me comunicou que na removação do Projeto terá uma verba designada a este material que estamos em débito, em nenhum momento esta sendo proposital ou provocativo a utilização do uniforme.
Como para o Projeto é uma coisa inedita( já que nao tem esta regra para o futebol e o Volei e apenas Escolinha) ainda tem uma grande " problemática" de convencer alunas que nunca praticaram o Handbeach ou até handebol de quadra, a usarem o suquini, acho que bocê me compreende né Guerrinha?
Mas estamos convencendo elas aos pouquinhos e começamos a leva-Las a assistirem a Serie A e alguns vídeos de jogos internacionais.
No caso do meu tome mais velho do Geração , a " problemática " esta no Ego mesmo, mas vou conseguir , aceito ajuda dos universitários kkkkkkkk
Bom é isso gente, termino dizendo que nao vejo problema algum em ter meu time citado, apenas quis justificar prometendo tentar resolver este conselho dado pelo Guerrinha!

Abraço a todos e #Vamoqvamo

Anônimo disse...

Esqueci de assinar! Mas sou Guerrinha !!! Jaime!!! Abraçaooooooooo

Anônimo disse...

Sr. Ariovaldo,

Não o conheço, porém, já tem minha simpatia...(em partes)

Até quem fim alguém que tenha coragem de falar o que vê...

Há tempos falei a mesma coisa sobre o que vi em Macaé e até desafiado fui, com direito a despesas pagas e tudo.

É muito fácio ficar o dia inteiro no facebook ou redes sociais postando que temos que mudar..

Pergunto:
O que você que critica, tem feito para mudar?Posso estar pecando!
Se tem feito, deveria sim, mostrar para servir como exemplo.

Só vejo críticas e críticas.

Cadê o plano de ação com tudo que tem que ser feito?

De que forma podemos conseguir patrocínio?

Os vários títulos internacionais não servem como argumento e prova para motivar alguma empresa ou governo à investir?

Como isso está sendo apresentado?

Se tudo isso é feito, peço desculpas por tudo que disse.

--------------------------------

Só acho mau amigo Ariovaldo, que você foi injusto com o pessoal do CEPRAEA, principalmente com a Camila.
Ela é eficiente e luta pelo esporte.
A rapaziada é boa e tem muito potêncial.
Passei por isso anos atrás, quando o beach estava no seu início.
Eu, Andinho, Manel, Robson como nosso técnico.
Acredito que essa galera tem muito a crescer.

Vivemos um momento bom aqui no Rio, com equipes altemante competitivas e isso dificulta essa mulecada.
Tenho certeza que em dois anos no máximo, eles estaram nas cabeças. Se não desistirem antes!

Claro que isso só acontecerá, se não deixarmos uma herança com bons exemplos e atitudes éticas.

Não adianta falar uma coisa e agir de forma totalmente contrária.

CEPRAEA, vocês serão sim!!!

Fiquem tranquilos..

Trabalhem muito, treinem muito, que a conquista virá!!


Não preciso me apresentar né?

Fiquem com Deus!!!

Dani Valim disse...

Em relação aos uniformes realmente acho correto que todos estejam devidamente uniformizados, fica estéticamente mais bonito e apresenta uma organização maior da competição. Mais com disse nosso amigo Jaime no comemtário acima a falta de verba (o que tem sido a maior problemática de todos os times ou 90% dos times) a dependência de patrocinios, liberações de verba e por ai vai ... E também tem a questão de convencer as meninas de usar o suquini que é uma missão muito difícil (sei disso pq fui uma das que fez cara feia qndo tive que passar a usar o uniforme) ainda mais quando se trata de pessoas que nunca utilizaram essa vestimenta... Mais um recadinho para as meninas É SÓ QUESTÃO DE COSTUME, LOGO NEM VÃO SE IMPORTAR MAIS rs ... Enfim, quero deixar aqui os meus parabéns pelo belo trabalho com a Equipe Geração e principalmete pelo Projeto Geração porque ”fazer, criar, lapidar” um(a) futuro(a) atleta não é pra qualquer um é só para aqueles que amam o que faz e se bem assim posso dizer ou chama-los como os escolhidos rsrs... Vlw Jaime pelo excelente trabalho e empenho pelo nosso handebol e Beach Handball. E aos técnicos que trabalham em prol disto como tb o meu técnico Rômulo Pereira. PS.: Vai preparando o psicológico p começar a ver os cabelos brancos crescerem ... Ngm mandou ser técnico de 2 equipes FEMININASSSS rsrs Bjs Dani Valim

Ariovaldo disse...

"Ariovaldo Santa Mônica"

Hahaha!!

Guerra já vi que você não deve ser bom de futebol, pois seu chute passou longe...

Até poderia dizer de que equipe eu sou, mas agora achei legal essa sua tentativa de acertar...

Não joguei neste fim de semana, nem minha equipe está enquadrada nos quesitos que você colocou no post.

Pede a Federação as fichas de inscrição das etapas que você vai saber de onde sou.

Ou continue chutando...

Hahahaha

Anônimo disse...

Guerra,

Obrigada por expor esses erros.Dessa forma podemos criar estratégias para nos corrigir e contribuir para a evolução da modalidade.

Abraços,

Milene Branco

Guerra-Peixe disse...

Camila,

Penso que você está no caminho certo. Talvez por se dedicar mais exista o entendimento que chegarão mais rápido. Sabemos que não, pois existem outras equipes que também trabalham, que têm talento e que também querem subir.

Tenha calma e paciência. Sua equipe é jovem, talentosa, coesa e organizada. A hora vai chegar e será por mérito de vocês.

Fique com Deus e vamos trabalhar!

wellington disse...

Não ia me meter, até ler uma frase que tbm ouvi varias vezes jogando pela equipe de BERTIOGA-SP:
"Nunca serão" e "Perder para Bertioga?? Nunca!!!".
O meu começo tbm foi assim galera, com sonhos desmotivados, nao ganhavamos 1 set de ninguém; e aos poucos fomos ganhando um set, no um contra goleiro, ganhando dois set diretos...sendo convocado pra Seleção, aprendendo com os atletas fantasticos que tem lá... e assim fui subindo, ganhando Brasileiro, Mundial, Sulamericano, Panamericano... Hoje graças à Deus, a força de vontade, a HUMILDADE tornou-se a coisa mais importante no esporte e na vida.
Sou um atleta realizado, ganhei tudo que podia ganhar no BEAch, e tem varios como eu... E NÓS SAÍMOS DESSES TIMES.... "OS QUE NUNCA SERÃO".
Então esse recado é pra garotada que LUTA pelos seus sonhos... NAO DEIXE NINGUEM FALAR QUE VC NAO É BOM SULFICIENTE PRA NADA... QUEM DIZ ISSO, NA VERDADE SÃO VCS MESMOS.
Um grande abraço, boa sorte garotada, espero que todos atletas que se sente DESMOTIVADO levante a cabeça.
Voces podem conhecer o mundo, assim como eu,fui até sozinho pra GRECIA tirar onda com BEach no Europeu, e fui Vice-Campeão passando por Russia,Polonia, Alemanha, Espanha, isso tudo com um time teoricamente super fraco.
NA VERDADE,SOMOS NÓS QUE DECIDIMOS SE SOMOS FORTES OU FRACOS...COM NOSSAS ATITUDES E HUMILDADE.
Um abraço
Wellington Esteves "GULLIVER"

Guerra-Peixe disse...

Jaime,

Mais uma vez vou lembrar que o post não teve a intenção de chamar a atenção das equipes que estão erradas e muito menos da FHERJ que deixou a coisa acontecer. Sei, assim como todos, que algumas equipes necessitam de tempo para seguir tudo que o regulamento da modalidade exige. Também sei que a instituição que dirige não pode levar a ferro e fogo todas as normas. Minha intenção foi apenas informar o que pode e não pode, pois muita gente acaba não sabendo ao certo.

Sempre digo que o mais importante é estar envolvido e jogar. Porém, consciente de que existem normas que temos que seguir, sob pena de descaracterizarmos a modalidade.

Jaime escrevendo o que você escreveu nem precisava assinar já conheço até de relance.

Forte abraço.

Guerra-Peixe disse...

Ao Anônimo

Andou sumido? Estava com saudades de você.

Você só foi desafiado por ter sido bravateiro ao dizer que tinha equipes superiores às que escolhi. Lembra? Disse que estava esperando você e a equipe para jogos e que caso você ganhasse algum teria a conta paga... Não foque na minha resposta, lembre-se do que escreveu.

Eu não posto o dia inteiro nas redes sociais que alguém tem que mudar. Gostaria que você provasse isso. Postei ontem, mostrando algumas coisas que não são permitidas com o título “Vamos melhorar e contribuir”. Parece-me bem diferente do que você entendeu, ou não? Anteriormente comentei que na etapa da Série B apenas uma dupla de arbitragem tinha comparecido. Você acha certo isso? Eu devia ter omitido? Na semana anterior postei sobre a Série A e comentei sobre pontos positivos e outros negativos. Você não gostou?

Você parece ser um cara bem intencionado, portanto, vou colocar uma situação para sua analise e aguardo um parecer. Você batalhou um patrocinador (modesto ou não). Foi para etapa todo organizado. Depois da primeira partida você olha para o calçadão e se depara com o seu patrocinador, que apareceu de surpresa. Ele vê uma série de equipes sem o uniforme padrão (que você exigiu); primeiro vê que só tem uma dupla de arbitragem e depois vê árbitros improvisados; os jogos sendo realizados em apenas uma quadra... Ele te chama e diz que precisa conversar com você, pois não gostou do que viu. Como você ficará? Como você vai ficar sendo cobrado pelo seu patrocinador? Para seu conhecimento, isso aconteceu domingo com o Arena Hand Três Rios.

Continua...

Guerra-Peixe disse...

Ao Anônimo parte 2

Suas perguntas e minhas respostas.

Anônimo - O que você que critica, tem feito para mudar? Posso estar pecando!
R- Ao longo dos últimos 17 anos tenho participado de tudo que se refere ao Handebol de Areia no Brasil e no mundo. Escrevo nas redes sociais, proponho, ministro curso, participo de palestras, assisto competições, tendo opinar na organização da modalidade em todos os âmbitos, dirijo a seleção brasileira masculina, estou escrevendo um livro, monto vídeos que dou para quem pede, ofereço vídeos gratuitos de competições pagas pela CBHb e respondo todos que me escrevem, anônimos ou não.

Anônimo - Se tem feito, deveria sim, mostrar para servir como exemplo...
R- Meu trabalho tem sido disseminado, não só no Brasil como no mundo. Afinal somos bi campeões mundiais, campeões do World Games, penta pan-americanos, bi sul-americano... Muita gente utiliza coisas do beach que saíram da cabeça de brasileiros. Muita gente lá fora acha que nós inventamos o jogo. Nos treinamentos de seleção sempre foram lançadas propostas por profissionais e atletas que depois são copiadas por inúmeros países. Sem falsa modéstia espero estar contribuindo para o desenvolvimento do nosso desporto. Veja o que o ponta esquerda da Dinamarca – Hans Lindberg diz do nosso beach handball (site da IHF).

Anônimo - Cadê o plano de ação com tudo que tem que ser feito?
R- Esse plano deve ser procurado na instituição que dirige a modalidade CBHb. Eu que sou técnico tenho essa função?

Anônimo - Só vejo críticas e críticas.
R- Não da minha parte. Seria injusto se você me colocasse nessa posição. Veja o meu blog. Corra os posts e você vai ver que isso não serve para mim. Detalhe: minhas críticas são acompanhadas de propostas...

Anônimo - De que forma podemos conseguir patrocínio?
R- Eu tenho mesmo que responder essa? Eu sei como podemos tentar. Tenho falado isso o tempo inteiro, mas não sou eu que posso fazer isso... Não enquanto tiver na função de técnico.

Anônimo - Os vários títulos internacionais não servem como argumento e prova para motivar alguma empresa ou governo a investir?
R- Acho que sim. Mas sou eu que tenho que responder essa também? Vou só te dar uma dica: Todos os movimentos em torno de se conseguir patrocínio para a CBHb (HANDEBOL) passam pelo Handebol de Areia e sua posição no mundo (Palavras do Presidente da Confederação Brasileira de Handebol).

Anônimo - Como isso está sendo apresentado?
R- A pergunta é ampla, mas vou tentar. No âmbito das seleções a nossa condição atual responde bem. Mas vamos ao Brasil. Com imensa dificuldade estamos tentando emplacar um circuito nacional de qualidade. Precisamos mexer no regulamento geral. Precisamos de patrocinadores fortes. Precisamos de equipes fortes. Precisamos melhorar o quadro de arbitragem. Precisamos avançar na organização. Precisamos tornar o Handebol de Areia um bom produto. Depois tentar vender bem esse produto. Depois do produto e da venda, precisamos ajudar clubes... Mas é o técnico da seleção que vai fazer isso? O máximo que posso fazer, além de tentar manter o país entre os melhores, é escrever, assistir, postar, comentar, criticar e sugerir. Certo ou errado?

Aguardo seu retorno.

Guerra-Peixe disse...

Obrigado aos que participam com comentários. Pode ser criticando, debochando, elogiando, aceitando... Dessa forma, mais pessoas leem o blog e tenho certeza que atingimos mais adeptos.

Portanto, valeu Camila, Milene, Ariovaldo, Dani Valin, Wellington Gulliver, Carol, Jaime e o Anônimo. O importante é avançar.

Guerra-Peixe disse...

Faltou o Silvio Lago!

Michell Borba disse...

Obrigado pelas palavras Gulliver e Silvio.Desistir?NUNCA!
Nós do CEPRAEA temos total consciência que o Beach Handball necessita de muita experiência para o sucesso , vide os últimos campeões do campeonato brasileiro , que estão há um tempo considerável no cenário do beach.
Muito treino e abraço a todos !

Silvio Lago disse...

A muito tempo vejo os esforços de muita gente ai no RJ, e olha que estou longe a 8 anos, exemplos como João, Léozão, Marcio Tosca, Luciano, Wellington, bob, Toda galera do Chopp e Areia (agora Rio handbeach), Z5, enfim, muitos nomes que estão e sempre ajudaram para o desenvolvimento do nosso querido beach handball, desde 1993 que lutamos muito para ver este esporte grande como ele realmente é, mas o que fazemos: Ficamos jogando pedras um nos outros, não se identificando, com inveja de trabalho de A, B ou C, falando mal de fulano e ciclano, FHERJ, presidente, Árbitros, areia, chuva, bola, cachorro na areia, corda, barraca, etc...

Já disse aqui uma vez e vou repetir, acompanho o desenvolvimento do beach handball desde seu início e nunca, eu disse NUNCA, vi a galera se unir e fazerem reuniões com as pessoas que realmente brigam pelo esporte, todos os anos acontecem etapas nos estados, e as finais em um estado a escolher, sempre vi Stanley, Guerra, Rossana, Marcio Magliano, e outros estarem prontos para discussões nas etapas finais e o que acontece: A resposta é: NADA.

Sempre vejo João Mandarino e Léozão exporem suas ideias, e SÓ.

Vejo muita gente calada e sem coragem (se posso dizer assim) de colocarem suas colocações, João e Léozão representam uma instituição,e o resto, só ficam olhando sem nada a dizer.

Acho que muita coisa já deveria ter sido mudada, mais para isso tem que haver diálogo entre clubes e representantes do beach, sempre vejo Guerra se expor no seu blog, por exemplo, ele colocou agora como não se deve participar de um jogo, dizendo das camisas, topos, suquinis, bermudas e etc, e muitos tacaram pedras nele, agora eu pergunto, o PORQUE disso tudo, pq o Anônimo não colocou ideias, o que Guerra colocou esta super certo, outra coisa, quem deve correr atrás de patrocínios para o esporte? Vamos conversar, apresentem projetos, ideias, só assim vamos crescer todos juntos...

Parabéns ao trabalho do CEPRAEA e Projeto GERAÇÃO do meu irmão Jaime, outros clubes que sou fã no RJ, IDEC, Z5, RIO HANDBEACH BEACH, Andinho (fazendo a diferença) enfim, muitos outros que sei que morreriam para ver o nome do nosso beach handball onde ele merece.

Parabéns a todos e muitas saudades de tudo isso.....

Jaime disse...

Guerrinha!
Tranquilo, eu entendi sim!

Sabe o que precisar e eu puder colaborar estamos juntos!!! Jaja estaremos no Geração, padronizados com as regras!

Quanto aos outros pontos deste post, achei que todos que participaram e assinaram foram muito felizes em seus comentarios.

As criticas sempre acontecem, mas seria mais justo se todos nós assinássemos em prol de debate sobre um assunto tão importante para nossa modalidade.

Enfim, como ja falei para o pessoal do Ceprae e digo a todos os que amam e querem o crescimento do esporte, precisando e estando ao meu alcance o que precisarem de mim e acho que de todos que participam aqui é so falar!

Acho que as vezes como o Gulliver falou, temos bastante participações credenciadas no esporte, podemos avançar mais se formos mais unidos do que já somos!

Quanto mais gente querendo o bem, mais o handbeach crescerá!

Abraço a todos!!!

Jaime Torres

Anônimo disse...

Po o assunto esta bom... entao colocarei minhas opiniões... Antes muitos deduziam que eu era o anonimo até pq minha namorada atuava e tinham a idéia que eu me revoltava com a não convocação dela, nosso time tem uma das melhores atletas ( na minha opiniao) em atividade no beach handebol mas nao ficava por problemas tecnicos e ate entao pediu dispensa por ter perdido um emprego por motivo de muito tempo fora por causa da seleção, mas com td isso nao me revolto e busco sempre a melhoria... Sabemos de todas as dificuldades, sempre nos revoltamos que a cada ano a taxa da federação aumenta e nda melhora, tanto que o prof Guerra apontou falhas aqui, mas mesmo assim não deixamos de nos apresentar como manda o regulamento... Temos projetos, levamos em diversas empresas, mas infelizmente é um esporte que nao tem uma boa visibilidade no mundo empreendedor, mas nao desisto nunca e vejo que um futuro bem proximo isso td vai mudar...
Prof Guerra o senhor só acompanha as etapas cariocas? Na minha opinião vc poderia tirar pontos positivos de etapas de outros estados para que posamos trocar informações, tirar proveito do que é bem feito em outros estados...
E quando vai mudar a idéia de que handebol de areia nao tem nda a ver com handebol de quadra?... Axo que qndo cada uma tiver uma federação diferente, já que a mesma federação consegue por as duas competições no mesmo dia e atrapalhando em questão de arbitragem ou até mesmo atletas que buscam se aventurar em jogar os dois esportes... Tenho várias idéias para tentar mudar, mas nao tenho grana...kkk... entao fico na dependencia de outros mudarem e continuamos mantendo nosso padrao... ajudo no q for possivel, tento mudar o que estar ao meu alcance, critico, elogio, desabafo, mas nunca em anonimato... E sempre me ponho a disposição para tentar ajudar quem precisa ou ate mesmo pra melhorar o beach... E o que for possivel arrumar pode ter certeza que se depender d mim ta td ok...
To em busca de melhorias e disposto a entrar em discussões sobre a mesma...



Um grande abraço...

BOB

Cecília disse...

Queria tirar uma dúvida já que você criticou e eu sempre quis saber isso, pode tirar? Você disse que não pode bloquear tão perto para evitar o seis metros, e quando a atleta vai girar em cima de você e você fica parada ou só pula pra trás pra bloquear? Você sai da frente dela pra ela girar?? Se pudesse responder seria muito bom, pois tenho muita dúvida quanto a isso e tendo sua resposta posso passar para todas as atletas do meu time como se conportar nesses casos. Obrigada desde já.

Anônimo disse...

Achei um absurdo essa arbitragrm nessa ulyima etapa da serie B, HORRIVEL, uma vergonha pro campeonato. eles nao possuem nenhum criterio,apitam sem ao menos conhecer, roubam na cara de pau.. Mt mal preparados e nao tem,a minima ideia de como e o handbeach, sabem o minimo. Infelizmente favorecem SIM determinadas equipes, uma pena.

Anônimo disse...

Anonimo nao, carolzinha!!

Thiago Moraes disse...

Guerra, já faz um tempo que não apareço por aqui, até pq não atuo mais como técnico de handebol (seja quadra ou areia), mas hoje quando cheguei para o treino de beach do masculino do Niterói notei a insatisfação da equipe feminina (a qual eu era treinador até o início deste ano), que estava terminando o seu treino, relativa ao seu post.

Resolvi então conferir. E, por mais que possa não ter sido a sua intenção, suas críticas soaram um pouco ofensivas.

De todas as críticas a única que aponta um erro técnico é relativa a equipe do Niterói sobre o bloqueio defensivo. Que neste caso, pode gerar inúmeras situações, como por exemplo a arbitragem marcar infração em todas as situações de bloqueio da referida atleta que aparece em todas as fotos, já que o "técnico da Seleção Brasileira" falou que ela faz esse fundamento incorretamente, independente se foi incorreto ou não na ocasião a ser marcada. Sabemos que isso acontece, a arbitragem é tão insegura e estuda tão pouco o desporto que vocês que são referência (comissão técnica e jogadores da Seleção) facilmente conduzem a decisão deles num momento de incerteza do que marcar num determinado lance de jogo, pois eles mesmos não sabem, portanto é mais provável que vocês estejam certos.

Acho que sobre as questões do uniforme são duas situações:
- Sem o uniforme adequado: Temos MAIS equipes jogando.
- Com o uniforme adequado: Temos MENOS equipe jogando.
O que é melhor mais equipes jogando ou uma competição mais apresentável? 300 atletas jogando ou 100? Qual produto é melhor para ser vendido?
Algumas equipes podem jogar sem o uniforme adequado por puro desconhecimento (oq eu, particularmente, acho pouco provável), mas acho que cabe a Federação informar a equipe no ato da inscrição ou na própria etapa que está jogando, e aí a equipe corre atrás (ou não) de um uniforme apropriado, como dito pelo meu amigo Jaime.

Acho a maior de todas as falhas a questão de não ter árbitros na etapa. Não há escala de árbitros? Se não há árbitros suficientes disponíveis a etapa deveria ter sido adiada antecipadamente (seria um transtorno menor). Fora a situação de que após a final feminina da série B um árbitro (que eu gostaria ainda de identificar, pois eu não estava presente) ter falado para uma atleta do Niterói: "Você não é ninguém, eu sempre apito o Brasileiro e nunca vi você lá".

Como no último Brasileiro eu ainda era o técnico da equipe me aproveitarei do seu blog Guerrinha para responder essa questão. A equipe adulta feminina do Niterói há 2 anos é formada por atletas juvenis, que em sua maioria jogam apenas o handebol de areia. Eu, enquanto responsável pela mesma, determinei que estaríamos aptos para participar de um Brasileiro quando nos estabilizássemos na série A do Circuito Carioca, optando então por jogar eventos abertos como forma de preparação (Itajái Cup, entre outras..)

Falei demais, mas acho que consegui expressar minha opinião.

Grande Abraço e sucesso em Oman!
Thiago Moraes

Guerra-Peixe disse...

Cecilia
Para entender bem essa regra e só ficar atento a quem ocupou o espaço primeiro. Se o adversário gira e bate em você que estava anteriormente naquele espaço, configura-se uma falta de ataque.

A outra situação que você colocou e muito mais complexa e acredito que ainda erramos muito. Toda vez que questionamos uma decisão dessas as pessoas falam que depende da interpretação do arbitro. No meu entendimento, aí mora o grande perigo e problema da arbitragem mundial.... Pois tudo fica na mão do arbitro.

Espero ter ajudado.

Guerra-Peixe disse...

Thiago
Bom conversar com você.

Em primeiro lugar e preciso entender que a postagem nao tem nenhuma referencia ao clube. Ninguém citou o erro de um clube ou de uma menina. A intenção foi mostrar algo muito normal nos bloqueios, que deve ser evitado, ou seja a proximidade.

O Luika já me escreveu falando do problema e já respondi explicando. De toda forma, considerando que a atleta e jovem e se sentiu ofendida, solicitei o telefone para me desculpar diretamente.

Para terminar achei engraçada a sua referencia aos membros da comissão técnica da SB e uma possível influencia na arbitragem. Nesse caso você pode ficar tranquilo, pois minha influencia e zero. No caso de alguns, muito pelo contrário, podem ate fazer o contrário somente por prazer.

Um forte abraço.

Thiago Moraes disse...

Guerra,

como falei em meu comentário anterior, "pode não ter sido a sua intenção", pois tenho certeza absoluta que você não tem nada contra o Niterói mesmo, muito pelo contrário. Apenas observando que da mesma forma que o "Anônimo" ou "Ariovaldo" se incomodaram com seu post, as meninas do Niterói também por existirem 3 fotos da mesma atleta apontando um erro técnico.

Acredito, particularmente, que se houvessem outras fotos de outras equipes apontando a mesma infração elas não ficariam "ofendidas" e teriam entendido a razão do post, como o próprio título diz "Vamos Melhorar e Contribuir."

Para desfazer a graça sobre a minha referência sobre a comissão técnica e jogadores da SB vou esclarecer:
Se eu, que não sou ninguém, consigo ganhar uma lateral ou um tiro livre a favor da minha equipe devido ao desconhecimento ou dúvida de um árbitro durante o jogo, o questionamento de vocês (atletas e dirigentes da SB) durante o jogo influencia mais ainda, pois na dúvida o árbitro seguirá o posicionamento de vocês, pois vocês sem dúvidas estudam mais o desporto que a maioria dos árbitros e estão mais atualizados. Isso é normal, todo técnico/jogador vai reclamar de um lance duvidoso visando privilegiar sua equipe. O que não é certo é a arbitragem, em sua maioria, ser despreparada e ser influenciada por qualquer um ou por um membro da Seleção, que obviamente acaba tendo um peso maior.

Acho que consegui esclarecer.

Abraço,
Thiago Moraes

Guerra-Peixe disse...

Thiago
Não era necessário esclarecer. Já estava claríssimo. Esse raciocínio de que membros da SB têm capacidade de influir é engraçado, pois todos pensam totalmente ao contrário. Existem membros da SB que se acham marginalizados e perseguidos (não é meu caso). Outros acham que muitos árbitros gostam de crescer punindo-os sem motivos... Eu, particularmente, penso que muitos nutrem desmedida antipatia por eu ter exposto várias vezes mazelas de todo o sistema, mas essa é uma outra longa e tenebrosa história...
Com graça ou sem graça vou te dizer uma coisa: é um equívoco pensar que existem influências por ser isso ou aquilo. Cada árbitro tem a sua cabeça e é mais fácil o cara ir contra o que pensa um membro da SB do que seguir o entendimento desse.
Vamos postar hoje fotos de atletas da seleção fazendo bloqueios indevidos...
Abraços.

Guerra-Peixe disse...

Pronto foi trocada a foto. Agora os atores são Jaime, Nailson e Vareta.

Esperamos que com a ilustração estejamos ajudando a quem tem dúvidas.

Um forte abraço.