sexta-feira, 6 de março de 2009

Tabela da Primeira Etapa do Estadual do Rio de Janeiro

Ao colocar equipes que se destacam no Beach Handball Brasileiro na segunda divisão, a Federação do Estado do Rio de Janeiro demonstra que o espetáculo não é o mais importante. É uma forma de entender a modalidade e temos todos que respeitar, pois a instituição está utilizando o regulamento, agindo com justiça e mão firme.
Na mesma direção, esperamos que FHERJ faça justiça aos participantes das etapas estaduais, lhes dando o mínimo de condições de jogo como: quadra molhada; chuveiro; organização; árbitros e dirigentes simpáticos a modalidade; e local para que os atletas se abriguem do sol. Não nos parece justo agir com justiça apenas em uma via, afinal de contas, a etapa é paga e não gratuita.

Vá no endereço abaixo e veja a Tabela da Primeira Etapa do Estadual 2009.

http://riohandbeach.blogspot.com

4 comentários:

Rio Handbeach disse...

Mais uma vez venho aqui ratificar o que já foi falado!

Já postamos também em nosso blog um questionamento a esse respeito. É preciso mudar a forma de pensar, pois existe uma grande diferença entre esporte de competição e esporte de participação.

Somos do nível competitivo, entretando contamos com um regulamento que lembra o nível escolar, onde a participação é mais valorizada do que os resultados.

Sem falar na falta de um mínimo de estrutura.

E obrigado por ajudar a divulgar o nosso blog!

Um abraço

Guerra-Peixe disse...

Em que pese a boa intenção do Luiz Felipe e outros que dirigem o Beach Handball carioca, prevalece sempre a ótica da arbitragem. Vale o que está escrito e ponto final. Não há flexibilidade e nem diálogo. Fico pensando se uma grande empresa resolve bancar três equipes no Beach Handball. Vamos imaginar que elas troxessem a TV. Certamente os dirigentes da modalidade no Rio iriam impor uma terceira divisão para as três equipes. Falar mais o quê? Por esses e outros motivos que quando estudamos qualquer assunto relacionado à política de desporto, todos os entrevistados apontam que o Handebol deveria ser como o Voleibol.
A única coisa que sugiro é que fiquemos atentos. O movimento de equipes na praia nao pode acabar como a quadra. Lembremos que na areia, do início para cá, já diminuiu muito. Vamos dizer que foi natural (!!??). Mas estejamos vigilantes!!!!

Silvio Lago disse...

Queria deixar aqui um comentário sobre este situação, acompanhei o beach no Rio e é muito triste ver que a coisa esta largada, a quatro anos não tenho contato, pois moro na PB agora, aqui o handebol de areia é feito paar melhorar a performance dos atletas e equipes, a muitos jogos e treinos, por isso o destaque nacional, desde 10 anos de idade temos atletas já iniciando na modalidade, temos também uma copa muito forte onde todos se preparam para eta competição que é a TAÇA KIKA DE HANDEBOL DE AREIA.
Vale a sugestão de inserir na FHERJ uma pessoa (tipo um coordenador) para acompanhar esta evolução, temos muitos nomes, poderia citar aqui, o Marcio Magliano (Campeão brasileiro) e com idéias novas, João Mandarino (um ótimo trabalho no handebol de areia pela UNISUAM), Léo, também da UNISUAM, E o próprio Guerra nada mais que Técnico da seleção brasileira e campeão do mundo.
Temos que mudar a cabeça, este problema não é só no Rio, o Brasil tem essa caracteristica de querer "travar" a evolução de alguma coisa, pensamos muito pequeno, temos que crias centros de excelência e outras coisas.
Boa sorte a todos.....

Rio Handbeach disse...

Todos os resultados oficiais vocês encontram em nosso novo endereço:

www.riohandbeach.com

Um abraço