segunda-feira, 22 de março de 2010

1ª Etapa do Circuito Carioca de Handebol de Areia - 2010

Ontem domingo de intenso calor, foi disputada a 1ª Etapa do Circuito Carioca de Handebol de Areia. Assisti a competição masculina como membro da comissão técnica da seleção brasileira. O feminino, como serei técnico de uma equipe da Paraíba, no final do Circuito Brasileiro, não olhei, evitando assim o fórum privilegiado e a acusação de falta de ética.
No masculino, vi alguns jogos disputados e muitos desfalques nas equipes que jogarão a final do circuito nacional. Também chamou a atenção o grande número de atletas fora de forma, barrigudinhos e com atenção voltada para os árbitros. A reclamação excessiva é o primeiro indicador do atleta despreparado. O cara quer ganhar na marra. Se considerarmos a etapa como “recreativa”, maravilha! Mas se quisermos que o Rio de Janeiro seja propagador da modalidade como de alto rendimento, estamos muito longe.
A organização da etapa por parte da FHERJ melhorou muito. Presença de árbitros integrados a modalidade. Presença do professor Rômulo, dirigente da instituição. Redes com qualidade atrás dos gols e traves de muito bom nível. Também é elogiável a mudança do feminino para próximo da calçada. Isso mostrou o espírito democrático e a exigência que as meninas estejam em forma, pois ali na frente fica feio estar fora dos patrões exigidos para ser uma atleta.
Na arbitragem, como eram esperados, muitos erros (dependendo de quem olha) e contestações. Mas fiquei feliz por ver um ambiente sadio entre todos. Os árbitros apitam muitas vezes e pouco descansam. Minha sugestão seria no sentido de minimizar as relações conflituosas. Funcionaria assim: após o sexto jogo, trocar a equipe de árbitros de quadra. O grupo que estiver apitando feminino passa para o masculino e vice versa. Dessa forma, aliviaria o ambiente, podendo contar com mais árbitros nos dois naipes. Queima menos o quadro de arbitragem e aborrece menos às equipes. Sugestão apenas para refletir.
Resultados. Unissuam, totalmente “quebrada”, campeã da competição masculina. Niterói, com equipe renovada, vice e Rio Handbeach, também desfalcada, terceira. Faltam três semanas para a final do nacional. Rapaziada, vamos treinar bastante nesse período!
No feminino, mas uma vez deu Z5. Com Unissuam em segundo e Rio Handbeach/Campo Grande em terceiro. As equipes femininas do Rio de Janeiro, demonstraram que estão quase no ponto para um excelente papel na final do Circuito Nacional. Sucesso para todas!
Parabéns a todos!

10 comentários:

Ariovaldo disse...

Fica a pergunta, o que aconteceu com o barrigudinho que ficou quase 5 minutos esbravejando, gritando com todos os arbitros e mesarios?
Resposta: Nada
O destemperado xingou a todos, fez várias ameaças e a arbitragem nada fez.
É engraçado a diferença de tratamento que a abitragem tem com os times que disputam o circuito, já vi gente por muito menos ser expulsa, e já vi outros reclamarem como o barrigudinho e nada acontecer.
Isso leva as outras pessoas a pensarem: Há privilégios para o barrigudinho ou devo fazer escandalos como dele?

Anônimo disse...

gostaria de fazer uma correção. Unisuam não tem dois s. É Unisuam e não Unissuam

pedrinhonr disse...

É o primeiro comentário que faço em blogs relacionados ao handebol de areia. Nunca fiz porque não acho que tenho conhecimento suficiente para opinar sobre as questões técnicas e acho as ofensas e discussões pessoais pequenas. Mas como o primeiro comentário, do Ariovaldo, desse tópico foi ridículo e de uma pessoa que certamente não entendeu o que estava acontecendo não consegui ficar calado.
Primeiro acho que se queremos criticar alguém devemos dizer o nome da pessoa e não ficar usando apelidos patéticos, mas enfim...
A discussão e o destempero de todo o time do Niterói Rugby se deu por um erro da arbitragem que trocou um placar de 6 gols para 2 na semi final da etapa. o erro ocorreu quando o mesário marcou um gol (de dois pontos) de um time para o outro, visto uma vez que o jogador número 1 existia apenas em um time e tinha seu gol marcado no outro time. Ao perceber o placar errado a equipe questionou a mesa que foi taxativa em afirmar que aquele era o placar correto. Já sendo motivo suficiente para o destempero de qualquer um. E se não tivesse sido cobrada do jeito que foi a arbitragem não teria corrigido o erro e a partida poderia ter tomado rumo completamente diferente. O destempero geral da equipe era mais do que justificado e como cada um demontra de um jeito, nada mais normal do que ter uma atitude mais incisiva e até mesmo agressiva (sem sentido pejorativo da palavra).
Pergunto a você Ariovaldo o que você faria se a arbitragem cometesse esse erro e insistisse nele contra sua equipe?! continuaria o jogo?! Enfim, mas pra sua informação houve punição para o jogador na partida.
De qualquer maneira gostaria de deixar aqui um pedido para que essas discussões pessoais não entrem em pauta, pois só diminuem a qualidade do blog. Pois acredito que quando o professor Guerra se refere a atletas acima do peso ou na preocupação deles com a arbitragem ele está exclusivamente falando para fazer evoluir o esporte e sem nenhuma intenção de ofensa pessoal, diferente do primeiro comentário desta postagem.

Abraços a todos

Pedrinho

Rio Handbeach disse...

Eu tenho me policiado no sentido de reclamar cada vez menos da arbitragem, mas ainda estou muito longe o ideal e sei que, nessa etapa, exagerei em muitos momentos. Talvez por estar sem tempo para esfriar a cabeça, afinal saia de um jogo feminino e entrava direto no masculino, mas é claro que não justifica.

Eu há muito tempo estou pensando em ideias para lançar um post sobre arbitragem no blog do Rio Handbeach, por entender que esse é um segmento que merece uma atenção especial.

Acho que as reclamações são normais e devem ser toleradas até certo ponto. Podem ser entendidas, muitas vezes, até como uma ação estratégica do treinador.

Como já questionei antes, inclusive aos membros da Federação, a quem podemos recorrer quando a arbitragem tem uma atuação ruim ou até péssima? Se gravarmos os jogos e comprovarmos sucessivos erros esses árbitros serão punidos? Serão suspensos? Obrigados a se reciclarem? Ou continuarão a atrapalhar o bom andamento das etapas?

Que fique claro aqui que não estou colocando culpa na arbitragem por esse ou aquele resultado, mas vejo como essencial para o desenvolvimento da modalidade que TODOS caminhem no sentido do aprimoramento.

Outro fato complicado é o desgaste da relação entre árbitros e treinadores/atletas, pois um erro recorrente tem muito mais peso do que um erro isolado, ainda mais quando os mesmos árbitros apitam 2 ou 3 jogos da equipe num mesmo dia.

Ariovaldo disse...

Prezado Pedrinho,
Achei engraçado seu comentário, o Prof. Guerra falou de um gordinho que queria ganhar no marra, eu falei de um gordinho que queria ganhar no marra. O Prof. Guerra ainda colocou que essa reclamação mostra um atleta despreparado, coisa que eu não falei. Ou seja, apenas ratifiquei o que o professor falou.
Aí vem você me dizer que meu comentário foi ridículo e o do Prof. foi no sentido de fazer evoluir o esporte.
HAHAHA
Desculpe, mas tive que rir, foi patético você colocar 2 opiniões completamente opostas de 2 afirmativas muito parecidas.
A única coisa que coloquei a mais foi a omissão da arbitragem, que no caso do gordinho não foi a primeira vez e nem será a última que ele dar seu showzinho e nada vai acontecer.

Agora a pergunta que não quer calar, nem o Prof. Guerra, nem eu citamos que o gordinho era da sua equipe. Você vestiu a carapuça pelo gordinho???

pedrinhonr disse...

Marcinho,

concordo com suas observações inclusive sobre a recorrência de atitutdes e dos desgastes que ocorrem durante a partida. Acho que devemos sim melhorar nesse sentido. Ainda acho que é um grande problema não haver punição para árbitros que erram recorrentemente.

Ariovaldo,

ninguém veste a carapuça quando se tem certeza a quem está se referindo, simplesmente reponde. Pra início de interpretação o comentário do Guerra foi no plural e impessoal, apesar de saber que poderia estar usando o seu exemplo como base, não tenho certeza se não há outras pessoas incluídas no comentário do professor. E não acho que ele fez isso no sentido de ofender ninguém, contrário ao seu comentário.
O seu comentário foi pessoal, ofensivo exclusivamente a uma pessoa que você nem o nome teve coragem de citar.

Só fiz esse comentário para esclarecer minha opinião. Não tenho motivos para algongar essa discussão.

pedrinho

Ariovaldo disse...

Pedrinho,

O Comentário do Professor foi no plural, mas só teve um gordinho que arrumou tumulto no domingo em Copacabana. Ou teve outro? Apesar do comentário no plural, o recado tinha endereço certo...
Agora você confunde mais as coisas. Se meu comentário foi pessoal e você nem precisou vestir a carapuça para saber de quem se trata, tinha necessidade de eu escrever o nome do gordinho?
Tá claro ou não está claro para você de quem se trata?

Guerra-Peixe disse...

Assim escrevi...
"Também chamou a atenção o grande número de atletas fora de forma, barrigudinhos e com atenção voltada para os árbitros. A reclamação excessiva é o primeiro indicador do atleta despreparado. O cara quer ganhar na marra (...)".
Não citei ninguém e nem estava me referindo a ninguém especificamente. Na verdade, estava indicando uma situação recorrente na areia.
Forte abraço!

Guerra-Peixe disse...

Que tal pararmos por aqui com a discussão dos fofinhos? Convido os participantes do blog a enviar sugestões de melhoria para o handebol de areia carioca e nacional. Podemos sugerir modificações de regulamentos. Sugerir reflexões sobre o próximo circuito e etc...
Conto com todos!

Anônimo disse...

Rapaziada, concordo plenamente com o Prof. esse não é o espaço adequado para o bate-boca, parece até que vcs estão na quadra, juiz e jogador, leiam as mensagens postadas por vcs e percebam o que rola lá na areia.
por outro lado tenho que admitir já haver presenciado erros grosseiros da arbitragem que se negou a reconhecê-los.
isso só vai mudar quando as federações adotarem medidas restritivas e punitivas contra aqueles que insistem em atuar de maneira pouco correta ou criteriosa. fica ai a sugestão e quanto às reclamações obviamente elas elas t~em o seu espaço mas também a sua medida. forte abraço