terça-feira, 23 de agosto de 2011

Handebol de Areia - Rio de Janeiro

Olá amigos!

Não estive na etapa, por estar envolvido em competição escolar na cidade de Belo Horizonte. É uma por ano, mas caiu nesse final de semana.

Vou reforçar minha opinião, pois apesar do Rio de Janeiro fazer à maior e melhor competição estadual do Brasil ainda têm muito que caminhar. Nesse caso, cabe a minha opinião, assim como a de todos aqueles que querem melhorar o nível desse evento.

Em primeiro lugar precisamos deixar de achar que essa competição só é boa porque os clubes fazem assim ou porque os árbitros são aquilo ou porque a federação do Rio de Janeiro é melhor que a outras... Precisamos entender que chegamos nesse estágio, por uma soma de esforços de todos. Portanto, assim como podemos captar bônus, devemos estar abertos ao ônus.

Depois temos que entender que todos querem melhorar, mas estão encontrando problemas para crescer. Entre outros, penso que o maior problema é a falta de interlocução com a FHERJ. Não dá para criticar qualquer coisa se as pessoas não têm nem a quem se dirigir no dia da competição. Atenção: não venham dizer que o árbitro tal era o responsável, pois não gosto que abusem da minha inteligência.

Para todos quem é a pessoa mais visível da FHERJ? Quem responde pelo Handebol de Areia? Todos concordam que é o Rômulo? Agora pergunto: O Rômulo tem autorização e meios para tudo decidir? Ele, assim como nós, tem disponibilidade para estar em todos os lugares ao mesmo tempo? Digamos que não, pois seria humanamente impossível dar conta de tudo, a quem se dirigir? Quem poderia ajudar aos clubes e responder perguntas e situações básicas? Quem decide? Quem julga situações graves?

Uma grande personalidade do handebol me confidenciou que na quadra houve agressão e nada foi julgado e decidido (não sei se é verdade). Se esse fato realmente aconteceu, estamos derrubando um dos pilares de qualquer instituição desportiva. Será que esse tipo de acontecimento não resvala para a areia e de certa forma explica os últimos acontecimentos? São suposições... Jamais respaldarei agressões de quem quer que seja, mas se todos percebem que nada acontece, no calor da competição podem acontecer fatos lamentáveis. Vejam o histórico de agressões de alguns atletas do nosso estado e digam se tenho ou não razão.

A FHERJ tem a competição na mão e vejo que essa está escapulindo. Não demora e teremos inúmeras competições paralelas. Não demora e teremos Liga de Handebol de Areia. Será esse o melhor caminho? Será que dá tempo de reverter situações que parecem incontroláveis? Sentem para conversar.

Como acredito que ainda dá tempo de reverter, pois todas as pessoas envolvidas são pessoas de e do bem, vou postar esse texto nesse blog, com a intenção de contribuir no debate que deverá ser acalorado.

Luiza e Rômulo convoquem uma reunião com todos. Conversem sobre os problemas e soluções. Vamos avançar. Existe muita gente querendo ajudar. Confiem nisso e tomem a melhor decisão.

Um forte abraço e bons ventos para todos!

3 comentários:

Tico Melo disse...

Olá professor Guerra, deve não lembrar de mim , mas sou seu aluno de handball no rodízio de educação física do 7° ano (turma 707) do CMRJ. De forma desintencional, acabei encontrando seu blog e achei-o bem interessante. Boa sorte na continuação desse seu trabalho.

AL. NASCIMENTO

Glauter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Glauter disse...

TEM RAZÃO GUERRA, É OUVINDO QUE SE APRENDE, SOFREMOS ISSO NA QUADRA TAMBÉM, AS VEZES ACONTECE CERTAS COISAS EM JOGOS E NÃO TEMOS A QUEM RECORRER. PRECISAMOS DE UM SISTEMA DENTRO FHRJ PARA QUE DESIGNE DELEGADOS REPONSVEIS PELAS ETAPAS, TANTO PARA PRAIA, COMO PARA QUADRA