sábado, 21 de novembro de 2009

II Proposta de Nivelamento de Técnicos

Rapaziada,
Obrigado pelo início das discussões sobre o nivelamento dos técnicos!

Quem freqüenta os Encontros Nacionais de Professores de Handebol das Instituições de Ensino Superior conhece a nossa luta para instituir esse processo na modalidade Handebol. Toda vez que se falava em nivelamento, percebíamos que muitos profissionais se preocupavam com o lugar em que estariam colocados. Qual será o meu nível? Mas eu fiz mais do que aquele cara e vou ficar no mesmo nível que ele? E nasciam discussões intermináveis de “lugares” e o processo não andava. Essa é uma experiência que podemos aproveitar para refletir.

Após a leitura dos questionamentos sobre antiguidade resolvi propor algo possível de controlar, que leva o tempo e a participação em consideração para o enquadramento dos técnicos em atividade. Vamos a eles:

• Nível 01 (Enquadramento) - O profissional formado que trabalha com o Handebol de Areia;
• Nível 02 (Enquadramento) - O mesmo profissional, mas com atuação em pelo menos um Circuito Nacional final;
• Nível 03 (Curso) - Idem, mas com duas atuações em Circuito Nacional qualquer fase;
• Nível 04 (Curso) - Idem e com dois anos como nível 03;
• Nível 05 (Curso) - Idem e com dois anos como nível 04.

Vamos aproveitar que não temos muitos problemas e resolver logo. Minha proposta no Handebol de Areia é formatar algo mais simples que possa ser levado à CBHb e darmos início ao nivelamento/cursos. Penso que em breve chegaremos ao modelo adequado. Certamente, no futuro, faremos retificações que contribuirão para a melhoria do quadro de técnicos de Handebol de Areia do Brasil.

O professor Alexandre, um grande batalhador da modalidade, propõe nomes nas categorias. Na verdade, entendo que nenhum profissional gosta de ser categorizado, a não ser que ele esteja no topo. Assim, acredito que os números sejam mais leves do que Estadual, Regional, Nacional... Essa nomenclatura, em algumas regiões do país, seria como uma bomba.

O professor Alberto Caldas, outro batalhador de longa data, sugere a inclusão do conteúdo de qualificação em treinamento físico específico da modalidade - aprendizagem ao alto rendimento (níveis 3 e 4). Dessa forma, o programa poderá desenvolver uma progressão no aprendizado, para quando os profissionais alcançarem o nível 05 não terem dificuldades em adequar os novos conteúdos. Concordo com o Alberto e incluiremos o conteúdo.
Vamos trabalhando!

12 comentários:

Alexandre Almeida disse...

Que bom que estamos avançando ainda mais. Como participante dos Encontros de Professores da CBHb, tenho a mesma percepção. Existe a preocupação grande com o status que cada um vai ocupar a partir da criação de uma escola nacional de técnicos.
No caso do Handebol de Areia foi proposto um processo de NIVELAMENTO e não de CLASSIFICAÇÃO. Perfeita a observação do Prof. Guerra quanto a minha sugestão de atribuir nomenclaturas como regional, Estadual, Nacional, etc... De fato poderia criar um certo disconforto para alguns técnicos ou deturpar o processo de nivelamento.
Temos sim que nos concentrar em fazer com que todos os profissionais do handebol de areia tenham as oportunidades e acesso ao conhecimento semelhantes em todas as regiões do país. Para isso, temos que continuar fazendo um trabalho unificado. A modalidade crescendo, todos envolvidos também crescem.
Grande abraço,
Alexandre Almeida

Rio Handbeach disse...

Sempre vai haver preocupaçao com o status!

Temos que pensar que, depois do enquadramento, tudo vai fluir bem.

Que em 2010 já possamos começar os cursos!

Onde eu assino?
huhua

Abraço!

COPA INDEPENDÊNCIA MUNDIAL DE HANDEBOL DE AREIA disse...

acredito que essa proposta está mais real no que diz respeito a experiência na modalidade.

por mim td certo.

onde assino 2.

Leonardo Castro disse...

Também gostei mais dessa meneira, parabéns Guerra.

eliane disse...

Muito interessante este nivelamento, qd e onde faço minha inscriçao...vlw

Felicidades Guerra e muita sorte.

Dudu Gold disse...

Olá Professor, eu acho uma ótima proposta essa que foi colocada no Blog. Mas eu acho que os parametros de nivelamentos deveriam ser feitos a base de Avaliação e nao a base de participação. Eu digo isso pq existem ótimos técnicos, com ótimas idéias... mas seus atletas não são de boa qualidade. Por causa disso ele sempre ficará estacionado no nível 1? E o "Ótimo técnico" (aquele que somente assina súmula) não manja muita coisa, tem uma ótima equipe, é campeão e ele será de nível 3,4,5...?
Na minha visão da melhora da qualidade técnica dos treinadores, obrigatóriamente todos os treinadores teriam que fazer o curso de arbitragem de beach Handball, para saber mais da regra desse desporto, assim evitaremos reclamações sem fundamentos como ja vimos em algumas ocasiões.
Ex: Poderia ter avaliação até o curso Nivel 3 e depois utilizaríamos os parametros de competição. Estadual, Participação em Nacional, Participação em Nacional final, etc...
Espero estar ajudando de alguma forma o crescimento técnico desse esporte.
Sem Mais
Gold.

Ted Boy disse...

Quanto ao treinamento físico, se não estou enganado, não existe nada publicado sobre handebol de areia.O Brasil sairía na frente também neste itém muito importante no esporte de alto nível atual, a confederação poderia insentivar a participação em congressos para a exposição destes trabalhos.
Grande abraço

Alexandre Almeida disse...

Olá Ted Boy!
A literatura sobre preparação física no beach handball é excassa, mas o que tem sido publicado saiu justamente do Brasil. Tivemos recentemente um artigo publicado no periódico eletronico da EHF (http://activities.eurohandball.com/?mode=105&ctrl=10) e numa revista científica da Grécia, que inclusive foi noticiado pelo Prof. Guerra nesse blog. Isso reforça a necessidade de continuarmos sendo referência no mundo nessa modalidade. Em todos os aspectos.
Grande abraço,
Alexandre Almeida

Ted Boy disse...

Alexandre muito obrigado vou pesquisar isso, mas como voce disse a literatura é escassa mas com apoio da confederação poderemos aumenta-la.
ps:desculpe a ignorancia até a dois meses atrás era um escluido digital ,hahahaha

Ted Boy disse...

Ps2: desculpe pelo escassa

Dudu Gold disse...

Realmente os trabalhos desenvolvidos nessa área são muito poucos. Andei pesquisando sobre "Physical Training of the Beach Handball" e pouquissimas coisas foram achadas, mas nunca aprofundadas. Como a equipe Brasileira é uma das melhores do mundo, é importantíssimo que tenhamos mais trabalhos de treianemnto físico expostos na EHF. Tivemos um artigo do nosso amigo Alexandre, inclusive um trabalho muito bom, mas precisamos de mais! Somente trabalhando e pesquisando, vamos melhorar as capacidades fisicas de nossos atletas.Assim chegaremos a parametros e uma linha de treinamento que poderá ser seguida por muitas equipes, com isso ocorrerá uma melhora na qualidade do esporte.
Eu faço Pós-Graduação na Unifesp de Curso de Bases Fisiológicas e Metodológicas do Treinamento Desportivo, conheço algumas pessoas que poderiam nos ajudar em alguns estudos e testes nessa área. Eu queria muito poder sentar com profissionais da area e conversar sobre isso. Quem sabe poderemos formar um grupo e desenvolver um trabalho de Treinamento Físico Específico Ao Beach Handball. Fica a minha proposta ai.
Sem Mais.

Alexandre Almeida disse...

Bom dia Ted boy!
Eu que peço desculpas pelo excassa, se na verdade se escreve escassa. rsrsrs Obrigado pelo "toque".
Com certeza a CBHb vai INCENTIVAR qualquer ação que contribua para o desenvolvimento do handebol de areia.
Olá Gold!
Bom saber que está fazendo a pós da Unifesp que é tão reconhecida na nossa área. Temos desenvolvido algumas pesquisas sobre handebol de areia aqui no Grupo de Estudos em Handebol da PUC-Campinas. Estamos a disposição para contribuir no que for preciso. Você apontou o caminho para evolução dos estudos na área. O diálogo aberto. Vamos conversar, expor idéias, discutir...!!!
Grande abraço a todos,
Alexandre Almeida